notíciaspolítica

Ribamar: Eudes Sampaio na mira do Ministério Público

O Ministério Público Estadual entrou de vez no imbróglio envolvendo a tentativa do prefeito Eudes Sampaio (PTB) em contrair dívida milionário às vésperas do período eleitoral e em plena pandemia causada pelo Covid-19, e quer saber a real intenção do gestor ribamarense.

Para investigar o caso, o Ministério Público Estadual, através do Promotor de Justiça Márcio José Bezerra Cruz, abriu investigação com instauração da Notícia de fato nº 05/2020 e quer saber a real necessidade e motivação do pedido do prefeito, que alega a intenção de pavimentar ruas.

Segundo denúncias, o prefeito não dá maiores detalhes sobre o empréstimo e até aliados mais próximos do gestor já consideram que o recurso será usado com intenções eleitoreiras.

“Cada vereador que votar à favor do empréstimo vai indicar pelo menos três ruas de suas bases eleitorais e terá o total apoio do prefeito mais adiante”, confessou ao editor do blog um parlamentar que vê no projeto, seu trunfo para a reeleição.

“O prefeito também dará indicações de ruas para outros pré-candidatos, como os ex-secretários que reforçaram os partidos na disputa eleitoral”, explicou com mais detalhe o vereador aliado do prefeito.

Com o Estado de Calamidade em vigor, esse dinheiro todo poderá ser usado com dispensa de licitação, o que será um risco ainda maior para o erário do município.

Especialistas apontam para crise econômica pós-coronavírus

Especialistas do Brasil inteiro aconselham que municípios não contraiam qualquer divida que não seja extremamente necessária neste momento, já que a previsão é de queda nos principais repasses federais.

Para se ter uma ideia, no primeiro decêndio de abril, a queda no repasse foi de 15,14% se comparado com o mesmo período de 2019.

Prefeito quer forçar votação de empréstimo

Quase que desesperadamente, o prefeito Eudes Sampaio tenta impor a votação e aprovação do empréstimo na Câmara Municipal. Com articulação às portas fechadas, Eudes conseguiu mudar o pensamento de alguns vereadores, entre eles, do vereador Moisés Gama, que na primeira tentativa de empréstimo votou contra o endividamento do município e foi acusado pelo ex-prefeito de querer conversar “atrás da porta”. Na época, os dois quase saem nos tapas, em ato político no Parque Jair.

Agora, parece que a conversa com Eudes foi melhor do que com o ex-prefeito Luís Fernando.

Portal Maramais

Leave a Response